Doenças condições de cães

Linfossarcoma renal (renal) em cães

Linfossarcoma renal (renal) em cães

Visão geral do linfossarcoma do rim canino

Linfossarcoma é um termo geral para cânceres malignos de tecidos linfóides, que podem afetar múltiplos órgãos, incluindo os rins. O linfossarcoma é um tipo muito comum de câncer em cães e gatos, mas a forma que afeta o rim é muito mais comum em gatos do que em cães.

O linfossarcoma é causado por linfócitos cancerígenos, um tipo de glóbulo branco. Cães e gatos de meia idade a mais velhos são afetados.

O linfossarcoma é uma doença fatal, mas geralmente entra em remissão com a terapia apropriada. Muitos animais com linfossarcoma renal freqüentemente desenvolvem insuficiência renal.

O que observar

Os sinais de linfossarcoma do rim em cães podem incluir:

  • Perda de peso
  • Vômito
  • Diarréia
  • Pouco apetite
  • Aumento da sede e micção
  • Alargamento abdominal
  • Letargia

    Animais com envolvimento de múltiplos órgãos podem mostrar outros sinais de doença, como alterações de comportamento, falta de coordenação, principalmente nas patas traseiras em gatos, fraqueza extrema nos membros posteriores e descoloração amarela da pele (icterícia).

  • Diagnóstico de Linfossarcoma Renal em Cães

  • História e exame físico. O exame físico mais comum em cães é o aumento de ambos os rins. Isso geralmente será apreciado pela palpação abdominal.
  • Hemograma completo. Um hemograma completo avalia os glóbulos vermelhos e brancos, bem como as plaquetas. Os pacientes afetados podem ser anêmicos (baixa contagem de glóbulos vermelhos) e podem ter evidências de glóbulos brancos anormais na circulação, bem como anormalidades plaquetárias.
  • Perfil bioquímico. Isso é importante para avaliar a função renal e outras funções orgânicas. Pode ajudar a indicar quais órgãos estão envolvidos no processo da doença.
  • Urinálise. A análise da urina fornece mais informações com relação à função renal.
  • Radiografias de tórax e abdominais. Os estudos de imagem das cavidades do corpo permitem identificar a extensão do envolvimento do câncer e fornecem uma determinação objetiva do tamanho do rim.
  • Ultrassom abdominal. Este é um método não invasivo para obter mais informações sobre a arquitetura renal. Também permite o exame de linfonodos abdominais, que geralmente são aumentados nos casos de linfossarcoma.
  • Aspirado renal com agulha fina ou biópsia renal. O linfossarcoma geralmente pode ser diagnosticado por um aspirado com agulha fina dos rins afetados, no qual o líquido é retirado por uma agulha. Este é um procedimento relativamente não invasivo, que pode ser feito com mínima ou nenhuma sedação. Se a amostra aspirada não for diagnóstica, será necessário realizar uma biópsia tecidual do rim.
  • Aspiração de medula óssea. A obtenção de uma amostra da medula óssea é necessária se houver suspeita de linfossarcoma, pois permite determinar a presença de células tumorais na medula óssea. Isso faz parte do chamado processo de preparação da análise de diagnóstico.
  • Tratamento do linfossarcoma renal em cães

  • O tratamento de escolha para o linfossarcoma é a quimioterapia. Este tipo de câncer é bastante sensível aos medicamentos quimioterápicos.
  • A quimioterapia envolve visitas semanais ao seu veterinário e geralmente requer tratamento por um médico veterinário ou oncologista.
  • Assistência Domiciliar e Prevenção

    Administre todos os medicamentos prescritos pelo seu veterinário. Alguns medicamentos quimioterápicos são administrados por via oral, em casa. É importante monitorar a resposta à terapia, bem como os efeitos colaterais da quimioterapia. Vômitos, diarréia, inapetência e letargia são sinais a serem observados em casa.

    Não há medidas a serem tomadas para impedir o desenvolvimento de linfossarcoma renal.